desenhos / explorações / piu piu piu

as 6 categorias

Gosto dos americanos, da forma simples como falam das coisas complicadas. Dos livros não-sei-o-quê para totós (for dummies no original). São os melhores vendedores do mundo, porque para eles cliente é rei. E o cliente, para comprar, não se pode sentir estúpido, por isso facilitam a vida até todos entenderem a mensagem. E nem o título for dummies é ofensivo. É mesmo para chegar a todos.

Há um psicólogo/terapeuta para casais que supostamente é uma sumidade nos EUA. Chama-se Harville Hendrix e tem um livro bestial traduzido em português chamado Todo o amor do mundo. Aconselho vivamente. É bastante esclarecedor em relação às escolhas que fazemos de companheiros/as e também mostra até que ponto os paizinhos (os nossos ou nós mesmos) têm grandes responsabilidades, mas que cabe ao adulto dar a volta à sua vida.

Mas o que eu gostei mesmo mesmo no livro foi de saber as 6 categorias com que nos balizamos. Uma coisa bem complicada tornada simples. Então há o cérebro novo, o esperto, o racional, o que nos faz sapiens sapiens e nos fez chegar onde chegámos. E há o cérebro velho, um bocado abrutalhado, aqui entre nós. O cérebro velho não faz distinção entre o presente e o passado. Mistura tudo. Tem de ter o outro, o novo, a dizer sempre, não é bem assim, olha que as coisas passam-se de outra forma, etc.  O melhor de tudo, no cérebro velho, é que ele divide as pessoas todas em 6 categorias. Todas organizadinhas em 6 belas prateleiras. Aqui vão (conforme a página 40 da edição portuguesa) as categorias de pessoas que:

  1. devemos nutrir
  2. devemos ser nutridos por
  3. devemos atacar
  4. devemos fugir de
  5. devemos ter sexo com
  6. devemos submeter-nos a

Giro, não é?
E dá que pensar (ao novo, que o velho diria que não pensa lá muito, só reage instintivamente). Que belo exercício, quem fica aonde… ;)

4 thoughts on “as 6 categorias

  1. :) yep, um sado-maso.

    Acho que pensaste nas mulheres mães porque nutrir é uma função que associamos mais à mãe. associada ao pai estará mais a função de protecção. por acaso, falta essa! que tal escrevermos ao senhor a dizer? :)

    os bonecos são teus ou do livro?

    o que se submete está com um melro azul às costas :)

    beijinhos

    • os bonecos são meus, aliàs, são todos ! e o melroazul aparece sempre, aqui foi o sitio onde calhou bem assinar, mas postas as coisas nessa perspectiva… os lapsos freudianos tb existem na versão gràfica? ;p
      beijinhos

  2. então e não é possível reunir várias das categorias? Calculo que algumas combinações sejam terríveis…por exemplo a 2 com a 4, ou a 4 com a 5. Então quando juntamos mais de duas…

    o que dará um 3 com um 5 com um 6? Acho que há uma categoria já criada para esta combinação.

    beijinhos!

    • acho que nunca ninguém fica so numa prateleira, mas num certo momento, numa foto no tempo, é mesmo assim que se passa!
      o 3+5+6 é sado-maso? e 2+4 são os pais toxicos? e a 4+5 são os companheiros/as toxicos/as, calculo. olha que ainda dà para baralhar mais: 2+6 é o total submisso passivo, 1+5 as mulheres mães (porque é que não pensei em maridos/pais? também os hà!)
      enfim, que belo exercicio tb!
      beijinhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s