explorações / piu piu piu / sugestões

Vai uma boleia numa bicicleta azul?

Vivo em Lisboa, capital europeia conhecida por ter 7 colinas. Andar de bicicleta por aqui não é definitivamente! fácil, mas há quem o faça. E são cada vez mais pessoas.

Eu não tenho bicicleta. Na realidade nunca tive uma bicicleta (que funcionasse).  Mas gosto de pedalar numa, de sentir o vento na cara, de saber que sou eu que imprimo a velocidade que quero e do esforço que isso implica. Andar de bicicleta faz bem ao corpo e à alma, não polui e permite-nos testar os nossos limites, enquanto apreciamos a paisagem.

blue bike

Acabei de arrumar a bicicleta azul que o editor Thomas Nelson me entregou. Estive à boleia de Tsh Oxenreider, escritora norte-americana que fundou o site The Art of Simple, onde escreve regularmente. O seu mais recente livro intitula-se Notes from a Blue Bike e a bicicleta de que fala é real, mas sobretudo figurada.

Descobri esta bloguer há um par de anos, um pouco por acaso, clicando de uma ligação para outra. Não sou leitora assídua de blogues, mas fiquei de imediato colada ao seu.
Tsh Oxenreider falava de uma vida mais simples, dava dicas de produtividade, dava exemplos de como simplificar a vida familiar, o que fazer com os desenhos das crianças, como encontrar paz de espírito no meio da azáfama da vida familiar e da sociedade ocidental em que– ela, norte-americana e eu, europeia – estamos imersas.

Dei por mim a visitar o seu blogue diariamente e, pouco a pouco, fui começando a aperceber-me de pequenas transformações internas. Fui aguçando a minha atitude crítica em relação ao consumo, seja ele de roupa, de comida ou de outro tipo de objectos. Fui-me libertando de tralha à qual estava apegada e à qual dou o nome de lixo sentimental. Fui começando a organizar, na minha cabeça e no meu coração, a minha lista de prioridades e de valores, de forma a ficarem mais claros e definidos.

A Tsh tem outros dois livros – One bite at a time (digital) e Organized Simplicity (editado) – onde dá sugestões muito pragmáticas de como simplificar a vida. Tenho e recomendo ambos.

Em Notes From a Blue Bike, a autora tem uma abordagem diferente: parte da sua experiência individual e familiar. A vida passada na Turquia (e outras viagens) e o inevitável embate aquando do regresso à realidade norte-americana fizeram com que a família Oxenreider reavaliasse os seus valores e a sua postura no mundo.

O livro está dividido em 5 temas: comida, trabalho, educação, viagens e entretenimento. Cada tema tem diversos pequenos capítulos que relatam experiências em datas e localizações concretas. Apesar disso há uma ligação muito orgânica entre as diferentes secções e a ideia subjacente é esta: como viver uma vida mais profunda e intencional.

Cada um dos temas é abordado de forma honesta e pessoal. Do particular desta família parte-se para o universal: afinal qual a melhor escola e método de ensino para os nossos filhos? Delegar a responsabilidade da educação para uma escola será boa ideia? Como consumir localmente e de forma sustentável? Deixar as crianças frente ao ecrã para nos darem um minuto de silêncio não será contraproducente? Não andamos todos com um ritmo frenético a correr atrás de coisas vazias? Como canalizar a nossa energia para o que realmente importa? Como viver de forma mais profunda e coerente com o nosso âmago?

Para quem já a conhecia anteriormente, Notes From a Blue Bike representa a queda de um mito – afinal a autora de livros de organização e de simplicidade é tão falível e humana como qualquer um de nós! Mas a força do livro reside justamente na partilha franca e honesta da suas fragilidades e dúvidas que surgem no dia-a-dia. Com ela podemos procurar inspiração para, também nós, de maneira pessoal e intransmissível, alinharmos as nossas opções diárias com os nossos valores, para uma vida cheia de intencionalidade.original(1)

Este post faz parte da digressão de blogues da bicicleta azul, ou Blue Bike Blog Tour. Podem descobrir outras opiniões (maioritariamente em inglês) aqui. Podem encontrar o livro aqui

One thought on “Vai uma boleia numa bicicleta azul?

  1. Ah, me identifico un montón con lo que dices, porque a mí me pasó exactamente lo mismo. Y poco a poco he ido reflexionando sobre cómo quiero que sea mi vida. Un placer compartir Blog Tour contigo, Andrea!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s